visto crianca

Existe diferença nos vistos consulares para crianças?

Avalie esse destino

Pensar se existem variações entre critérios para os diferentes países onde se pretende mandar as crianças, seja para passeios ou outros compromissos, pode confundir os pais ou responsáveis gerando dúvidas e atrapalhando o processo de visto. A Infovistos, com seus 10 anos no mercado, já assessorou centenas de casos e ajuda os pais com as dúvidas mais frequentes.

“O que os pais costumam questionar com mais frequência é o tempo de duração do visto para as crianças, pela intenção clara que eles têm em continuar viajando com os filhos uma ou mais vezes no mesmo ano, ou bienalmente. No caso dos EUA, não há regra do consulado quanto a validade do  visto. Pelo menos não que seja divulgada. Quando a criança tem até uns 2 anos, mais ou menos, o visto, geralmente, tem duração mais curta”, comenta Alexandre Luis Pedrosa, diretor da Infovistos.

Outro dilema dos pais é em relação às mudanças de fisionomia das crianças: “ Independente da mudança do rostinho dos pequenos, porque eles crescem muito rápido, o que é previsível, não é necessário renovar o visto até que ele vença a validade e o mesmo vale para o passaporte,” complementa Alexandre.

Na prática e na teoria não existem diferenças entre os processos de solicitação de vistos para crianças. O que muda de fato são os trâmites em relação aos pais das crianças quando é necessário autorização no caso de elas viajarem sozinhas.

Quanto a facilidade ou não de se conseguir um visto para criança, se comparada com adulto, Alexandre comenta: “Os pais terem o visto e ter viajado para os países onde os filhos vão pode ajudar, mas não garante a aprovação. Pode influenciar positivamente, mas não é garantia de um aceite pelo consulado.”

O visto para os Estados Unidos é um dos mais solicitados e é aconselhável seguir a todas as recomendações da assessoria que contratar. “Existem mitos disseminados aos quatro ventos, mas, na realidade, durante nossos anos de experiência aprendemos na prática que os processos são burocráticos do início ao fim, independentemente de ser vistos para bebês e devem ser acompanhados com o mesmo nível de exigência das solicitações para adultos”, alerta Alexandre.

Um ponto importante e que deve sempre ser levado em consideração são as datas e prazos que normalmente os consulados trabalham e isso independe do tipo de visto que se vai solicitar.

Para sanar mais dúvidas sobre vistos, procurar empresas como a Infovistos é uma “mão na roda” e traz mais tranquilidade com orientações para organização de documentos e entrevistas nos consulados e embaixadas.

Mais informações em www.infovistos.com.br

Você também pode gostar de: